SSD FICA MAIS LENTO QUANDO ESTÁ CHEIO?

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Os rumores entre especialistas que um SSD perde desempenho quando fica cheio com o tempo provou ser verdadeiro. 

A velocidade do SSD realmente pode diminuir, principalmente entre as unidades mais baratas que não tem Over Provisioning. 

Felizmente, existem coisas que você pode fazer para evitar que isso aconteça e ajudar a manter a velocidade de seu SSD!

O QUE É SSD GARBAGE COLLECTION?

Assim como jogar o lixo fora é uma tarefa necessária para manter sua casa em ordem, a coleta de lixo (garbage collection) é um tipo de manutenção que é feita automaticamente pelo seu SSD. É um nome impróprio, pois a coleta de lixo não tem nada a ver com a remoção de arquivos que não são mais necessários.

É mais como se livrar de caixas vazias de coisas que você já jogou fora. Em sua essência, a coleta de lixo SSD é um processo automatizado projetado para melhorar o seu desempenho.

Todos nós sabemos que os SSDs são inicialmente muito rápidos. Mas estamos descobrindo que eles ficam mais lentos com o tempo, especialmente quando a unidade começa a encher. Isso é exatamente o que o Garbage Colletion do SSD foi projetada para evitar. Com a manutenção adequada, a velocidade de um SSD pode ser preservada.

A PRINCIPAL CAUSA PARA A QUEDA DE DESEMPENHO DE UM SSD

Para entender por que os SSDs ficam mais lentos com o tempo, é importante saber como funcionam os sistemas de arquivos. Cada sistema de arquivos tem sua própria maneira de fazer as coisas, mas de modo geral, quando você exclui um arquivo, ele não desaparece realmente.

O sistema operacional normalmente não apaga os blocos de armazenamento anteriormente ocupados pelo arquivo. Em vez disso, ele simplesmente marca os blocos como disponíveis. E armazena essas informações em um arquivo de diretório (MFT).

É por isso que softwares de recuperação são capazes de recuperar arquivos que foram ‘apagados’. O arquivo ainda existe nesses blocos no disco, mas o arquivo do diretório os lista como vazios, de forma que são invisíveis para o seu computador.

Com os HDs, esse método de exclusão de arquivo não era um problema. O sistema operacional simplesmente marcaria os blocos como disponíveis, e o disco rígido poderia gravar novos dados sobre os dados antigos.

SSDs não podem fazer isso. Para SSDs, os blocos de armazenamento devem ser totalmente apagados antes que possam ser gravados. E isso faz com que os SSDs fiquem mais lentos com o tempo.

Para evitar que essa situação indesejável aconteça, os SSDs modernos executam rotinas complexas chamadas de coleta de lixo (garbage colletions) para manter sempre a maior reserva possível de blocos  prontos para gravação. 

A coleta de lixo envolve fazer o controlador do SSD pesquisar em seu índice as páginas que foram marcadas como “obsoletas”. A coleta de lixo procura blocos que contêm uma mistura de páginas boas e desatualizadas. 

Em seguida, copia todas as páginas boas em novos blocos e deixa para trás apenas as páginas desatualizadas no bloco antigo. Em seguida, ele apaga o bloco antigo, e o marca como pronto para uso. 

O objetivo por trás desse processo é tentar otimizar o desempenho deixando os blocos completamente vazios (e depois apagando o bloco todo) ou completamente cheios.

Quando um SSD está com sua capacidade quase lotada, não há espaço para que este procedimento automático de otimização ocorra. Em casos extremos com o SSD lotado, a unidade poderá ficar travado em modo somente leitura.

Para evitar que isso aconteça, muitos SSDs possuem uma área de reserva chamada OP (Over Provisioning), que nada mais é do que um espaço reservado oculto, inacessível ao usuário. 

Ao mesmo tempo que OP melhora o desempenho, ele reduz a área útil de armazenamento do SSD. Normalmente, OP utiliza um espaço entre 4 à 20% do total disponível. Por exemplo, um SSD com espaço total de 500 GB pode reservar 20 GB para OP, sendo vendido como uma unidade de 480 GB.

Por causa disso, unidades baratas de SSD não tem nenhum espaço alocado para o Over Privisioning. Todas as célula de memória são usadas para armazenamento, aumentando o risco da unidade perder desempenho quando está com sua capacidade quase lotada.

Mesmo que sua unidade de SSD não tenha Over Provisioning gravado direto no firmware, ainda pode ser possível configurar manualmente o OP através de utilitários do fabricante, tais como:

  • Crucial Storage Executive
  • Kingston SSD Manager
  • Samsung Magician
  • Sandisk SSD Dashboard

Quando você precisar recuperar dados de SSD (e não consertar o SSD), consulte a E-Recovery para saber os custos do serviço.