O que é melhor, Hyper-V ou VMware?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Duas das escolhas mais comuns para hypervisors incluem ESXi da VMware e Hyper-V da Microsoft. Conheça os os prós, contras e custos do Hyper-V e VMware, para que você possa decidir o que é melhor para você.

A virtualização continua sendo uma das tendências mais importantes em TI.  A virtualização permite que uma única peça de hardware de computador seja compartilhada entre várias máquinas virtuais (VMs). Além de reduzir os custos de equipamentos e gerar grandes economias de custos, a virtualização facilita o gerenciamento de recursos e TI, melhora a continuidade dos negócios com tempo de inatividade mínimo e permite provisionamento mais rápido de hardware e software. 

Um hyervisor é o software básico que controla as máquinas virtuais. Um hyervisor é executado em cima do hardware, permitindo acesso direto aos seus componentes e traz os recursos da virtualização para o primeiro plano. Hyper-V e VMware são dois dos principais hypervisors do mercado. Um hyervisor é o software básico que controla as máquinas virtuais. O hypervisor certo pode garantir facilidade de uso, alocação flexível de recursos e interrupção mínima para cada um dos sistemas operacionais em uso.

Atualmente, as organizações exigem muitos servidores em diferentes locais físicos, cada um operando em sua capacidade máxima para aumentar a eficiência e o ROI. Isso foi possível com o uso de tecnologias de virtualização que permitem que um único servidor físico execute várias máquinas virtuais, cada uma com seu próprio sistema operacional convidado.

A tecnologia de virtualização tem suas origens na década de 1960, que era feito na IBM no compartilhamento de tempo de computadores mainframe. A VMware não entrou em cena até o final da década de 1990. Em 2001, a VMware lançou o ESX Server, um hypervisor Tipo 1. Essa tecnologia não requer um sistema operacional host para executar máquinas virtuais. Em vez disso, o hipervisor é executado no “bare metal” (servidor dedicado).

Existem vários tipos diferentes de virtualização, incluindo virtualização de servidor, rede e desktop.

  • VIRTUALIZAÇÃO DE SERVIDOR – Permite a criação de várias instâncias de servidores virtuais em um único servidor físico. Isso significa que as empresas podem executar vários aplicativos de negócios, cada um em sua própria máquina virtual (VM) nesses servidores. A maior utilização do servidor permite que as empresas comprem menos máquinas físicas, reduzindo os custos de energia e refrigeração no data center.
  • VIRTUALIZAÇÃO DE REDE – Envolve separar recursos de rede do hardware e recriá-los em uma única unidade administrativa baseada em software. Os aplicativos podem ser executados em uma rede virtual como se estivessem em uma rede física. O hardware físico, embora ainda seja necessário, não precisa ser reconfigurado quando uma nova máquina virtual é adicionada à rede ou movida para uma parte diferente da rede. As redes podem ser clonadas e recriadas em segundos com a virtualização de rede.
  • VIRTUALIZAÇÃO DE DESKTOP = A virtualização de desktops é feita para criar uma versão virtual da estação de trabalho junto com seu sistema operacional que pode ser acessado remotamente.

O QUE É HYPER-V?

O que é o Hyper-V e como ele funciona? O Microsoft Hyper-V é um hypervisor que tem sido um componente opcional nos produtos Windows Server desde o Windows Server 2008. O Hyper-V também é encontrado nas edições x64-bit Pro e Enterprise do Windows 8, Windows 8.1 e Windows 10. Há também um Hyper-V Server autônomo com um conjunto de funções limitado que a Microsoft disponibiliza gratuitamente.

O Hyper-V é um hipervisor tipo 1, ou bare-metal, uma vez que é executado diretamente no hardware do computador e abaixo do host e das VMs convidadas. Os recursos do Hyper-V, e o fato de ser projetado e suportado pela Microsoft, permitem seu uso como uma plataforma de virtualização para qualquer organização que busca expandir sua infraestrutura de TI.

O QUE FAZ O HYPER-V?

O Hyper-V permite que você use seu hardware físico com mais eficiência, executando várias cargas de trabalho em uma única máquina. Ele permite que você use menos servidores físicos, reduzindo assim os custos de hardware e economizando espaço, energia e custos de resfriamento.

Com o Hyper-V, você pode configurar e dimensionar seu próprio ambiente de nuvem privada. Muitas organizações usam o Hyper-V para centralizar o gerenciamento de farms de servidores. Isso permite que eles controlem suas VMs com eficiência e reduzam o tempo gasto no gerenciamento da infraestrutura de TI.

O Hyper-V utiliza uma arquitetura de hypervisor com micro kernel, em que serviços e drivers de dispositivo operam independentemente da camada de hardware. Esse design significa que o Hyper-V tem menos sobrecarga para manter e gerenciar dispositivos e serviços que não dependam do hypervisor. Isso torna o Hyper-V rápido e escalonável, já que não apenas acessa diretamente o hardware, mas também não precisa carregar drivers e serviços durante a inicialização.

Além dos sistemas operacionais Windows, os dispositivos Linux com kernels baseados nas versões 3.4 e superiores, assim como o FreeBSD, também suportam E/S Enlightened, permitindo que rodem mais rápido no Hyper-V. Os sistemas operacionais que não oferecem suporte ao Enlightened I/O são executados em uma camada de emulação mais lenta.

RECURSOS DO HYPER-V

Alguns recursos importantes do Hyper-V incluem:

  • Recuperação de desastres e backup – O Hyper-V pode fazer cópias de backup de VMs e armazená-las em outros locais para recuperação posterior em caso de desastre. Também oferece dois métodos de backup, um usando estados salvos, e outro usando Volume Shadow Copy Service ou Volume Snapshot Service (VSS), como também é conhecido.
  • Portabilidade – Mover uma VM para outro lugar é muito fácil, pois o Hyper-V oferece suporte para migração ao vivo, migração de armazenamento e importação / exportação.
  • Conectividade remota – O Hyper-V tem uma ferramenta de conexão remota que suporta Windows e Linux. Conhecida como Conexão de Máquina Virtual, essa ferramenta oferece acesso ao console que permite ver os eventos na VM convidada, mesmo quando ela está em um estado não inicializado.
  • Segurança – O Hyper-V apresenta Secure Boot, ajudando a proteger as máquinas virtuais e seus dados contra malwares e outras formas de acesso não autorizado.
  • Alta escalabilidade e flexibilidade – Com a instalação do Hyper-V em um ambiente de nuvem privada, as organizações podem ser mais flexíveis com seus serviços de TI de acordo com a demanda e expandí-los quando necessário. O Hyper-V coloca o hardware existente para uso máximo, reduzindo custos e aumentando a eficiência.
  • Tempo de inatividade reduzido – Ter várias instâncias de servidores virtuais minimiza o impacto de uma inatividade repentina, o que significa que a disponibilidade do sistema aumenta e as empresas podem melhorar a continuidade dos negócios.

O QUE É VMWARE?

O que é VMware vSphere? VMware vSphere é uma plataforma de virtualização diferente do Hyper-V, pois compreende um conjunto de produtos de virtualização. Inclui o hypervisor VMware ESXi, um hipervisor tipo 1 (bare-metal) que se aproxima dos recursos do Hyper-V. Com sua versão mais recente, a plataforma agora pode lidar com cargas de trabalho de Kubernetes prontas para uso, tornando-o ideal para uso em ambientes de desenvolvimento.

Em termos do componente hypervisor do vSphere 7, o VMware ESXi é capaz de acessar os recursos de computação do hardware físico diretamente e compartilhá-los entre as VMs no sistema. As VMs ESXi são executadas em um sistema de arquivos de cluster de alto desempenho conhecido como Virtual Machine File System (VMFS).

A versão mais recente do ESXi agora roda em um microkernel, conhecido como VMkernel, que usa a camada de emulação do Linux para hospedar o hardware e as VMs convidadas e se conecta diretamente aos processadores e RAM. 

Para os outros componentes de hardware, incluindo rede e armazenamento, o ESXi usa módulos, que são vinculados por meio de outro módulo, VMKlinux, que é derivado da interface do módulo Linux. Alguns dos outros módulos também são derivados de diferentes módulos do kernel do Linux. 

COMPONENTES E RECURSOS DO VMWARE VSPHERE

  • vCenter Server – Ferramenta de gerenciamento para ESXi que também atua como o controlador para serviços de datacenter.
  • VMware vSphere Client – Interface baseada em navegador HTML5 para conexão remota ao vCenter.
  • VMware vSphere Distributed Switch – Switch virtual para conexão com vários hosts.
  • VMware Virtual SMP – Permite que as máquinas virtuais usem mais de um processador físico simultaneamente.
  • vMotion – Permite a migração ao vivo de máquinas virtuais, mesmo enquanto estão em execução.
  • Storage vMotion – Permite a migração de discos virtuais ou arquivos de configuração.
  • vSphere High Availability – Permite o uso de outros servidores disponíveis para reiniciar VMs com falha.
  • Tolerância a falhas – Garante disponibilidade contínua criando cópias de cargas de trabalho selecionadas em servidores diferentes.

Como o VMware e o Hyper-V se comparam?

VMWare e Hyper-V têm seus próprios pontos fortes e fracos. Ao escolher entre os dois, tudo se resume a qual dos dois atende às suas próprias necessidades. Tanto o VMware quanto o Hyper-V têm suas próprias ferramentas de gerenciamento, cada um igualmente apto para a tarefa. Nesse aspecto, a escolha passa a ser uma preferência pessoal.

Em termos de implantação de armazenamento, o Virtual Machine File System (VMFS) da VMware tem uma ligeira vantagem sobre o ReFS do Hyper-V, ou Resilient File System, especialmente quando se trata de clustering. Embora ambos tenham recursos de clustering quase semelhantes, o Volume compartilhado de cluster do Hyper-V é mais complexo e difícil de usar do que o equivalente VMware.

Ambas as plataformas também possuem tecnologia de instantâneo (snapshot), que permite cópias point-in-time de VMs e seus dados para evitar a perda de dados. No entanto, os instantâneos do Hyper-V superam os do VMware, pois ele pode executar instantâneos em produção e seus pontos de verificação persistentes podem ser exportados para outros locais.

Além disso, o Hyper-V também permite 64 snapshots por VM, em comparação com apenas 32 permitidos pelo VMware.
VMware e Hyper-V também implementam técnicas de gerenciamento de memória para garantir que o uso de RAM em VMs seja otimizado. 

Enquanto o VMware implementa uma variedade de técnicas, como compactação de memória, compartilhamento transparente de página e excesso de assinatura / supercomprometimento, o Hyper-V se mantém com apenas uma, a memória dinâmica. Essa confiança em uma única técnica de gerenciamento de memória funciona a favor do Hyper-V. É mais simples, mas melhor do que o gerenciamento de memória complexo no VMware.

VMware oferece suporte a mais sistemas operacionais, incluindo Windows, Linux, Unix e MacOS. Por outro lado, o suporte ao Hyper-V é limitado ao Windows e mais alguns, incluindo Linux e FreeBSD. Se você precisar de suporte mais amplo, especialmente para sistemas operacionais mais antigos, o VMware é uma boa escolha. Se você opera principalmente VMs do Windows, o Hyper-V é uma alternativa adequada.

Quando se trata de escalabilidade, não há um vencedor claro, com alguns recursos a favor do VMware e o Hyper-V prevalecendo em outros. Por exemplo, enquanto o VMware pode usar mais CPUs lógicas e CPUs virtuais por host, o Hyper-V pode acomodar mais memória física por host e VM. Além disso, ele pode lidar com mais CPUs virtuais por VM.

Para segurança, enquanto a VMware implementa criptografia de dados em repouso e em atividade, e mesmo durante a migração da carga de trabalho, a segurança do Hyper-V é gerenciada por meio do Active Directory. Este último também possui outros componentes de segurança que são muito mais extensos do que os da VMware.

Por fim, os preços das duas plataformas variam amplamente, dependendo da edição. Os preços também não podem ser comparados facilmente, pois são calculados de forma diferente. O VMware cobra por processador, mas o preço do Hyper-V é baseado no número de núcleos no host. Para empresas maiores, a estrutura de preços da VMware parece ideal; organizações menores, por outro lado, podem achar o Hyper-V mais do seu agrado..

E-RECOVERY é uma das empresas mais capacitadas em recuperação de dados de máquinas virtuais do Brasil. Podemos ajudá-lo quando você perder dados do seu sistema de virtualização Hyper-V ou VMware. Com mais de 15 anos de mercado, recuperamos dados de discos virtuais com os mais variados problemas, seja causado por corrupção do datastore ou problema físico no servidor RAID. Consulte-nos para um orçamento sem compromisso quando você perder seus arquivos e precisar recuperá-los!

Rolar para cima