fbpx

Qual é o tipo de RAID mais utilizado?

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Quando os profissionais de TI, ou o próprio usuário, precisam escolher o tipo de RAID a ser configurado no seu servidor ou NAS, muitas perguntas vem à mente. Vamos rever algumas perguntas comuns sobre RAID para ver qual é a melhor configuração de RAID para o seu equipamento:

  • Meu servidor precisa de RAID?
  • Qual o nível de RAID mais utilizado?
  • Qual é a melhor configuração RAID para o seu servidor?
  • Qual o RAID mais seguro?
  • Qual o RAID mais rápido?
  • Qual RAID tem melhor performance em leitura/gravação?

RAID (Redundant Array of Inexpensive Disks) é uma tecnologia de de armazenamento de dados que combina várias unidades de disco em uma única unidade lógica para desempenho mais rápido e maior confiabilidade na preservação dos dados. Em primeiro lugar, pergunte-se se o seu servidor precisa de uma configuração RAID. 

A implantação de RAID depende principalmente da importância que o equipamento precisa fica disponível para a continuidade das operações da sua empresa. Se ficar online o maior tempo é essencial, o RAID é o seu seguro contra failover (tolerância à falhas). Vamos supor que um servidor falhe em plena Black Friday em uma empresa de comércio eletrônico. Seria um pesadelo, não?

E uma certeza é que seu HD irá falhar, discos rígidos sempre falham e é só uma questão de quando isso irá acontecer. Sem RAID instalado, sua empresa sofrerá um grande tempo de inatividade enquanto a unidade é reconfigurada. Em seguida, os backups precisam ser restaurados, supondo-se que você tenha um.

Com o RAID instalado, a unidade seria substituída automaticamente através de um disco reserva (hot spare) e o próprio equipamento iria reconstruir e sincronizar o RAID do HD antigo para o novo, sem a necessidade de restauração do backup.

RAID DE HARDWARE x RAID DE SOFTWARE

Existem dois tipos de RAID, cada um com suas vantagens e desvantagens:

  • RAID de hardware: Com uma configuração de RAID de hardware, os HDs se conectam a uma placa controladora RAID inserida na placa-mãe do servidor ou em chips embutidos na placa eletrônica do NAS. Isso fornece um desempenho ideal, pois o processamento é feito pela placa RAID em vez do sistema operacional, proporcionando maiores velocidade de leitura e gravação, ao mesmo tempo que o processador não é sobrecarregado.
  • RAID por software: quando os discos são conectadas às portas SATA da placa-mãe do servidor sem um controlador RAID, o array é gerenciado pelo sistema operacional. Esta é a opção mais barata, tudo que você precisa fazer é conectar as unidades e configurar os volumes dinâmicos no Windows. No entanto, você está restrito aos níveis de RAID que seu sistema operacional pode suportar e o desempenho será prejudicado.

O RAID de hardware oferece mais flexibilidade por meio de mais opções de configuração e libera você das limitações de um RAID de software. Dependendo da complexidade da configuração do RAID, o desempenho pode ser um problema se você estiver usando o RAID de software.

QUAL CONFIGURAÇÃO RAID É A MELHOR?

Uma pergunta comum que os usuários fazem é “Qual RAID devo usar com meu equipamento?”. A reposta correta para esta pergunta seria:  “O que você está tentando fazer?”

A escolha do nível de RAID certo para o seu equipamento requer algumas reflexões sobre o que é mais importante para a sua empresa. É desempenho, redundância ou eficiência de armazenamento? Em outras palavras, você precisa de velocidade, segurança ou o máximo de espaço possível?

Esta postagem descreverá brevemente as configurações comuns e como cada uma pode atender aos critérios mencionados acima. Nem todas as configurações de RAID oferecem os mesmo recursos em termos de redundância, velocidade ou aproveitamento da capacidade dos discos. Alguns níveis comuns de RAID incluem RAID 0, RAID 1, RAID 5, RAID-6 e RAID 10. Continue lendo para uma versão mais detalhada dos prós e contras de cada um.

  • RAID 0 – Um RAID combina os HDs em um único volume distribuindo os dados em todos os discos do array. Como você pode distribuir os fragmentos em todos os discos simultaneamente, há um ENORME ganho de desempenho, bem como o benefício de 100% de aproveitamento de espaço. Entretanto, uma vez que todos os dados estão espalhados por vários discos, se um disco falhar, você perderá TUDO. RAID-0 é usado em renderização de vídeos ou por gamers, onde o desempenho é mais importante do que a eventual perda dos dados, que neste casos pode ser restaurada sem muitas dificuldades.
  • RAID 1 – Um RAID 1 é é conhecido por \”espelhamento”. Ele espelha dados entre (normalmente) dois discos. Você pode criar 3 ou 4 espelhos de disco se quiser, mas não vou discutir isso aqui, pois é mais útil para unidades de inicialização do que para discos de dados. O RAID 1 lhe dá tranquilidade sabendo que você sempre tem uma cópia completa do seu disco de dados, caso falhe, e tempos curtos de reconstrução. A ressalva desta vez é que a eficiência de armazenamento é apenas 50% do espaço em disco bruto, e não há nenhum benefício no desempenho como o RAID 0. Na verdade, há até uma pequena perda na velocidade de gravação, pois toda vez que algo precisa ser gravado no array, ele tem que gravá-lo duas vezes, uma em ambos os discos.
  • RAID 5 – O RAID 5 distribui os segmentos de cada arquivo em cada um dos discos do array, calculando simultaneamente os dados de paridade para adicionar tolerância a falhas.  Isso permite que um único disco do RAID-5 falhe, sem que haja a perda dos dados que podem ser reconstruídos com os dados de paridade existentes nos discos remanescentes. O espaço bruto fornecido pelo array será a capacidade total de todos os discos menos um disco de capacidade. O RAID-5 necessita de pelo menos 5 unidades para ser implementado, e o desempenho de leitura e gravação é aprimorado. 
  • RAID 6 – Um RAID 6 também é conhecido como “RAID de paridade dupla”. Ele usa uma combinação de distribuição de dados e paridade em todos os discos do array. Isso tem a vantagem no maior desempenho de leitura, o que significa que você pode perder até 2 discos no array e ainda ser capaz de reconstruir os dados perdidos. A principal ressalva é que pode haver uma perda na velocidade de gravação significativa.
  • RAID 10 – O RAID 10 é ideal para situações em que o desempenho e a segurança são as prioridades. O RAID 10 tem um desempenho de gravação muito rápido e é seguro, independentemente do tipo de disco usado (discos de consumo de baixo custo ainda podem ser extremamente seguros, mesmo em matrizes grandes). As desvantagens óbvias são que o RAID 10 tem menos capacidade de armazenamento, sendo equivalente à metade da capacidade somada de todos os discos. Uma configuração RAID-10 exige pelo menos 4 HDs para ser configurado.

MEU RAID PRECISA DE UM BBU? 

Uma BBU (unidade de bateria reserva) é uma bateria de íonS de lítio que você conecta ao controlador RAID. Este dispositivo protege e mantém os dados em cache que estão na controladora RAID do seu servidor.

Em caso de perda de energia, seu servidor RAID perderá as informações antes que as alterações saiam do cache e sejam enviadas para o disco, resultando em dados corrompidos. O conteúdo da placa RAID torna-se irrecuperável e você pode não saber quais arquivos estão danificados. Essencialmente, uma BBU é um dispositivo à prova de falhas de dados.

Conclusão

Agora que discutimos vários níveis de RAID e seus prós e contras, podemos tirar algumas conclusões para determinar qual é a melhor escolha para seu aplicativo.

Especialmente no ambiente de pequenas empresas, a maioria dos sistemas usará RAID 10 simplesmente porque os arrays raramente precisam ser maiores do que quatro unidades. Quando os arrays são maiores, o RAID 5 é a escolha mais comum devido aos orçamentos um tanto apertados e geralmente pouca preocupação com o desempenho. 

Tanto o RAID 6 quanto o RAID 10 são soluções seguras e eficazes para quase todos os cenários de uso, com o RAID 10 dominando quando o desempenho ou a confiabilidade extrema são fundamentais, e o RAID 6 dominando quando o custo e a capacidade são fundamentais. 

Quando as necessidades de armazenamento são muito grandes ou específicas, como mais que 24 discos em um array, lembre-se de usar um consultor de armazenamento, pois o cenário pode facilmente se tornar complexo. O armazenamento dados é um campo onde vale a pena investir tempo em sua implementação, pois muitas coisas dependerão dele e é fácil acontecerem contratempos que levem à perda dos arquivos.

A E-RECOVERY é uma empresa especializada em recuperação de dados corporativos como NASServidores e Storages. Na eventualidade de você perder dados do seu sistema RAID, conte com a ajuda especializada da E-RECOVERY!

Rolar para cima