20 mitos e fatos sobre recuperação de dados de HD

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

O HD é o local onde o computador armazena seus dados. Quando seu disco rígido parar de funcionar, você encontrará muitas verdades e mentiras sobre recuperação de dados de HD. 

Certas experiências que deram certo com uma única pessoa, podem levam as demais pessoas a conclusões precipitadas sobre a efetividade ou não dessa solução para consertar ou recuperar os dados de um HD. 

Quando a situação piora, a última opção que resta é buscar a ajuda de uma empresa especializada. Este tópico foi escrito como uma tentativa de desmascarar alguns dos mitos mais populares que envolvem discos rígidos e revelar a você o que é real e o que não é! 

MITO 1 – Os HDs são imunes a falhas e funcionam eternamente

Os discos rígidos são dispositivos mecânicos que também têm sua vida útil. A vida útil média de um disco rígido é de 3 a 5 anos, dependendo do tipo de uso e frequência de utilização. Isso significa que eles estão sujeitos a falhas, podendo ser corrompidos ou danificados. Portanto, é importante manter o backup de todos os dados armazenados em seu HD regularmente.

MITO 2 – Posso consertar o HD abrindo-o com uma chave de fenda

Assistindo vídeos do YouTube, as pessoas abrem os HDs por conta própria. As suas pontas pontiagudas podem danificar o disco rígido ou suas partes mecânicas ao arranhar o prato ou a cabeça, além de poder contaminar os discos com micropartículas de pó. Depois que o HD é danificado, as chances de recuperar dados diminuem. Portanto, evite abrir discos rígidos por conta própria.

MITO 3 – Os dados não podem ser recuperados após uma formatação

As pessoas acreditam que uma vez que os dados são formatados, especialmente no ambiente Windows, eles desaparecem. Mas ele exclui apenas os ponteiros onde os arquivos estavam gravados nos setores do HD. Se novos arquivos não sobrescreverem estes setores, o processo de formatação não destrói dados e, muitas vezes, os dados podem ser recuperados.

MITO 4 – Uma vez que os dados são excluídos do HD, eles são perdidos para sempre

Muitas pessoas excluem dados acidentalmente e pensam que os arquivos não são mais recuperáveis. O espaço ocupado pelos arquivos deletados é retido no disco rígido até o momento em que você os sobrescreve com novos dados. Os dados excluídos são simplesmente marcados como excluídos e estão sempre lá até que novos dados tomem seu lugar, possibilitando a sua recuperação na maior parte dos casos.

MITO 5 – A recuperação de dados profissional de HD é barata

A recuperação de dados profissional não pode ser considerada barata, dependendo do tipo de falha e até que ponto o disco rígido está danificado e os procedimentos necessários para repará-lo. A contratação de profissionais de recuperação de dados compensa o custo, pois eles são a sua melhor alternativa para recuperar seus dados com privacidade e segurança.

MITO 6 – Formatar um HD pode consertar setores defeituosos

Os setores defeituosos não são reparados com a formatação de um disco rígido. Em vez disso, ele os impede de serem acessados marcando estes locais como danificados em uma tabela de alocação de arquivos. Isso evita que o sistema operacional acesse estes setores defeituosos durante o armazenamento de dados.

MITO 7 – Você deve formatar seu HD regularmente para melhorar o desempenho

Esta é a falácia mais comum, provavelmente fruto da experiência de usuários que notaram uma melhora na capacidade de resposta de seus PCs após a formatação e reinstalação de seus sistemas operacionais. No entanto, isso se deve ao sistema operacional recém-instalado sem os inúmeros aplicativos que o usuário comum instala em seus computadores.

MITO 8 – SSHDs são mais confiáveis do que HDs

Como os SSHDs são uma combinação de um HD normal com um grande cache de SSD, eles têm mais pontos de falha. Se qualquer um dos componentes (SSD ou HD) falhar, toda a unidade falhará. Na verdade, o SSHD tem uma limitação de vida útil adicional que o HDD não tem – o número de gravações que as células de memória flash no cache SSD podem suportar antes de “morrerem”.

MITO 9 – Formatar um HD muitas vezes pode causar falhas

A formatação do disco rígido NÃO reduzirá sua vida útil. Sim, acredita-se que a formatação reduza a vida útil do disco rígido, mas isso não passa de um mito. A formatação NÃO é um evento estressante para um disco rígido. As cabeças de leitura / gravação NÃO tocam a superfície do prato, portanto, danos ao prato só ocorrem se houver algum choque na unidade durante a operação.

MITO 10 – Varrer o HD com um antivirus várias vezes ao dia pode matar seu HD

A verificação de vírus não difere de nenhuma outra operação que requeira a leitura de dados da unidade de disco rígido. Portanto, o ato de escanear vírus não tem a menor probabilidade de matar sua unidade de disco rígido. Entretanto, a varredura desnecessária da unidade de disco rígido continuamente aumentará a temperatura do HD, podendo reduzir a sua vida útil.

MITO 11 – Se o HD parar de funcionar, coloque-o no freezer

Este é um dos mitos mais comuns sobre recuperação de dados de HD. As pessoas pensam que colocar o disco rígido no freezer resolverá o problema. O motivo é que os discos rígidos ficam superaquecidos e as pessoas pensam que congelá-los resolverá o problema. A verdade é que o congelamento do disco rígido resultará na contração das peças mecânicas e na condensação da umidade no interior dos discos, podendo danificá-los. Portanto, nunca coloque o disco rígido no freezer.

MITO 12 – Os fabricantes de HD trapaceiam na forma como calculam a capacidade de armazenamento

Se você usar qualquer disco rígido de 500 GB, ele mostrará aproximadamente 465 GB de espaço. Então você achará que a empresa de manufatura o enganou, mas tecnicamente não é verdade. Pense nisso como “manipulação criativa da realidade”. As empresas calculam o armazenamento como 1 MB = 1000 KB e 1 GB = 1000 MB, portanto, você acaba tendo menos armazenamento do que é mencionado na etiqueta. 

MITO 13 – A unidade de disco rígido só pode ser instalada na posição horizontal

Os HDs podem ser instalados em qualquer posição, desde que eles fiquem estáveis dentro do computador. Eles podem funcionar em qualquer posição. E você não precisará reformatar a sua unidade na posição vertical, se quiser montá-lo na posição vertical no seu computador!

MITO 14 – Os pequenos orifícios de respiração permitem a entrada de poeira dentro do HD

Esses pequenos orifícios são os locais por onde o HD “respira”, permitindo uma pequena troca de ar entre o exterior e interior do disco, sendo necessários para o seu bom funcionamento para equalizar a pressão do ar dentro da unidade. Embora seja verdade que qualquer poeira que entrar em contato com os pratos do HD possa danificá-los, é impossível que a poeira passe para dentro do disco pois eles são protegidos por um filtro de ar.

MITO 15 – Colar ímãs de geladeira no computador pode apagar os dados do HD

Este mito adverte contra a possibilidade de pequenos ímãs de geladeira poderem corromper os dados gravados no disco rígido. Este tipo de ímã são fracos e seus campos magnéticos não podem penetrar para dentro do computador, muito menos no próprio HD. Alguns destes tipos de ímã são tão fracos, que após algum tempo eles de descolam de onde foram colocados! Ao contrário de ímãs mais ‘potentes/fortes’, esses sim, podem danificar o HD.

MITO 16 – Você pode consertar um HD trocando a sua placa lógica

Isso é parcialmente verdade. Nas antigas unidades abaixo de 80 GB, trocar a placa de um HD por um modelo idêntico normalmente faria o HD funcionar normalmente. Nas unidades mais modernas está técnica não funciona mais, pois o firmware (software básico) do HD agora é gravado em duas partes. Uma parte fica armazenada em um microchip na placa lógica, e a outra é gravada nos pratos magnéticos. Se elas não forem sincronizadas, o HD não funcionará corretamente.

MITO 17 – Todos os HDs de mesma capacidade são iguais

Apesar da capacidade estampada na etiqueta ser a mesma, um modelo de HD empresarial pode custar até 3 vezes mais do que um HD para o consumidor comum. HDs de maior durabilidade são fabricadas com peças mais resistentes e caras. Por isso o custo de um HD para servidores, onde a confiabilidade e segurança no armazenamento dos dados é mais importante do que o seu preço, é mais caro do que um HD projetado para ser usado em notebooks.

MITO 18 – Uma pancadinha na lateral do HD pode reviver um HD “morto”

Isso não funcionará e poderá causar ainda mais problemas no seu HD. Se você bater no disco rígido enquanto ele está energizado, provavelmente fará com que as cabeças atinjam os pratos, danificando-os. Os HDs são dispositivos eletro-mecânicos e sensíveis a choques. Então por que você poderia achar que é uma boa ideia dar uma ‘pancadinha’ no seu HD quando ele está girando?

MITO 19 – A CIA ou o FBI podem recuperar dados sobrescritos de um HD

Nos HDs modernos, quando o espaço ocupado por um arquivo que foi deletado é sobrescrito com novos dados, a verdade é que a sua recuperação não é mais possível. Se o espaço não foi totalmente sobrescrito, talvez seja possível recuperar parcialmente alguns dos dados que estavam gravados.

MITO 20 – Se o HD não girar, posso bater com um martelo para destravar os rolamentos

Nos HDs fabricados antes de 2000, os rolamentos de esfera então utilizados não eram muito confiáveis, e podiam travar. Então, um “truque” comum era usar um martelo de borracha para dar uma leve pancada no HD para destravar os rolamentos e o HD giraria novamente. No entanto, nos motores de HDs modernos equipados com rolamentos dinâmicos de fluido (FDB), onde não são mais usados rolamentos de esferas, esta técnica não funciona mais.

Se você não acredita em mitos, e precisa urgentemente recuperar os dados perdidos do seu HD, entre em contato com a E-RECOVERY para obter uma cotação de preços gratuita. Com mais de 15 anos de mercado e 7500 clientes atendidos, a E-Recovery é uma das empresas líderes em recuperação de dados de HD do Brasil.

Rolar para cima