Como o TRIM afeta a recuperação de dados de SSD?

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Para entender como o TRIM afeta a recuperação de dados, é importante entender o que acontece quando você exclui um arquivo do computador.

Quando você apaga um arquivo, o sistema operacional não remove diretamente o espaço ocupado pelos dados deletados do seu HDD ou SSD, até você excluí-los da lixeira. Quando eles são apagados da lixeira em HDs, esses dados podem ser sobrescritos diretamente com novos dados.

Em SSDs os dados terão que ser apagados primeiro, antes que novos dados possam ser gravados nos mesmos setores que eram ocupados pelo arquivo apagado. É um processo que consome muito tempo, piorando o desempenho do SSD e reduzindo seu espaço real de gravação.

EXCLUSÃO DE DADOS EM UM HD

Um HD tradicional armazena os arquivos em setores físicos de um um disco magnético. O sistema operacional usa uma tabela de referência para indexar todos os setores do HD. Esta tabela informa o sistema operacional quais pontos do HD estão sendo utilizados, e quais estão livres. 

E quando for  necessário acessar os arquivos, ele saberá exatamente onde os fragmentos do arquivo estão gravados no HD. Quando você pressiona a tecla Delete, o arquivo não é realmente excluído. Ele vai parar na Lixeira, e o sistema operacional ainda saberá onde os pedaços do arquivo estão gravados, caso você queira recuperá-lo depois.

Quando você exclui o arquivo da Lixeira (ou usa o atalho Shift + Delete para exclusão direta), o Windows remove as informações do seu índice (MFT = Master File Table), informando o sistema operacional que há espaço disponível para novos dados. O HD não é informado sobre essa alteração, e nem precisa saber, pois não faria nada com essa informação.

Os setores do HD onde os dados estavam gravados não é zerado. Eles ainda continuam lá, intactos. Enquanto eles não forem sobrescritos, com a ajuda de softwares especializados ainda poderá ser possível reconstruir o índice do arquivo e fazer a sua restauração. Embora pareça um pouco complicado, significa que seus dados permanecem recuperáveis, pelo menos por um curto período.

Quando o sistema operacional está pronto para armazenar novos dados naquele local, ele apenas envia os dados para o HD e diz para gravar naquele local, sobrescrevendo diretamente os dados anteriores.

EXCLUSÃO DE DADOS EM UM SSD

Com o advento das unidades de estado sólido (SSDs) baseadas em memória flash, surgiu um novo problema. As páginas da memória flash NAND não podem ser sobrescritas diretamente com novos dados, mas devem primeiro ser apagadas no nível do bloco por meio de um processo chamado Garbage Collection (coleta de lixo).

A coleta de lixo começa quando um bloco da memória flash está cheio de dados, geralmente uma mistura de dados válidos (bons) e inválidos (mais antigos, deletados). Os dados inválidos devem ser descartados para abrir espaço para novos dados. A controladora de memória do SSD copiará os dados válidos para um bloco zerado, e pula a cópia dos dados inválidos desse bloco. A etapa final é apagar todo o bloco original, preparando-o para que novos dados sejam gravados.

Este processo é feito continuamente, nos momentos de ociosidade do SSD. Enquanto o SSD não tiver realmente limpado os blocos de memória, ainda talvez seja possível recuperar os arquivos. Se a controladora de memória já tiver zerado os blocos ocupados pelo arquivo deletado, a sua recuperação será impossível.

É por causa disso que a chance de recuperar dados arquivos deletados de um SSD com comando TRIM ativado é muita reduzida.

O QUE É TRIM E POR QUE É NECESSÁRIO

Há alguns anos, o setor de armazenamento de dados se reuniu e desenvolveu uma solução para aumentar o desempenho e a vida útil de SSDs. Foi criado um novo comando SATA chamado TRIM, que fica entre o sistema operacional e o SSD. Não é um comando que força o SSD a apagar dados imediatamente, como algumas pessoas acreditam.

Na verdade, o comando TRIM pode ser visto como uma mensagem do sistema operacional sobre quais endereços usados anteriormente no SSD não contêm mais dados válidos. O SSD pega esses endereços e atualiza seu próprio mapa interno para marcar esses locais como inválidos. TRIM também reduz o número de ciclos de gravação no flash, aumentando a durabilidade do SSD.

Outro benefício do comando TRIM é que mais espaço está disponível para super-provisonamento (Over Provisioning). Um fabricante de SSD pode reservar uma porcentagem adicional da capacidade total do SSD para Over Provisioning ao programar o firmware. O OP não apenas melhora o desempenho, mas também aumenta a vida útil de um SSD.

Com mais espaço nas memórias NAND flash disponível para o controlador SSD, menos sobrecarga nas memórias NAND Flash resulta em menos desgaste durante sua vida útil, o que significa que a unidade é mais durável.

O fabricante do SSD pode configurar a capacidade OP de maneira diferente, dependendo do tipo de utilização do SSD e da capacidade total das memórias flash NAND. Drives com alta capacidades ou para uso intensivo, são normalmente configurados com provisionamento proporcionalmente maior.

Esse espaço de armazenamento OP fica inacessível para o usuário e não é exibido no sistema operacional do computador. É reservado exclusivamente para uso com o controlador SSD.

VERIFIQUE SE O TRIM ESTÁ ATIVO NO SEU SSD

A partir do Windows 7 e versões mais recentes, todos já estão configurados para habilitar automaticamente o TRIM no SSD. Mas você pode verificar manualmente se o Windows ativou TRIM para o seu SSD.

Como fazer isso no Windows 10?  Siga os passos abaixo:

Etapa 1: Clique com o botão direito do mouse no botão Iniciar. Escolha a opção Windows PowerShell (Admin). Ao entrar no Prompt de Comando digite este comando:

fsutil behavior query disabledeletenotify 

Após pressionar Enter, duas opções serão exibidas no prompt de comando.

  • Opção 1: NTFS DisaleDeleteNotify = 0 , o que significa que TRIM está habilitado para seu SSD.
  • Opção 2: NTFS DisaleDeleteNofity = 1 , o que significa que TRIM está desabilitado para seu SSD.

Finalmente, uma última observação. Se você estiver usando um Mac, a Apple não oferece suporte ao TRIM em SSDs de terceiros. Era possível contornar essa limitação nas versões anteriores do OS X, mas você não pode fazer isso no Yosemite ou versões superiores sem abrir uma brecha de segurança. Não faça isso, porque embora o TRIM faça uma grande diferença no aumento da vida útil e desempenho de um SSD, não vale a pena abrir as brechas de segurança para obtê-lo.

Quando você precisar recuperar dados de SSD (e não consertar o SSD), consulte a E-Recovery para saber os custos do serviço.

Rolar para cima